79 9 88003487

NO AR

Rádio Web Novo Horizonte

radiowebnovohorizonte.com.br

Brasil

Como a Igreja da Lagoinha de André Valadão promove a “cura gay”

As sessões de uma suposta “reorientação” da sexualidade, conhecida como \"cura gay\", acontecem na Estância Paraíso

Publicada em 21/07/23 às 17:31h - 27 visualizações

por noticiasa sergipe


Compartilhe
 

Link da Notícia:

 (Foto: Reproduçao )

Mergulhado em uma polêmica sem previsão para acabar, o pastor André Valadão, 45 anos, enveredou por uma pregação movida a intolerância, ao ponto de sua mensagem ir parar no Ministério Público Federal em Minas Gerais.

Desde que criou o movimento “Deus odeia o orgulho”, em junho, no mês do orgulho LGBTQIA+, os ataques do religioso culminaram com uma ação civil pública no MPF mineiro.

O pastor que o líder global da Igreja Batista da Lagoinha, com sede em Belo Horizonte e 700 filiais em cinco continentes, bradou aos fiéis que “Deus mataria” a população LGBTQIA+ e os instou a “ir para cima” deles.

Segundo uma reportagem da Veja, os ataques a comunidade não se restringe apenas às falas transmitidas de Orlando, EUA, mas, pela Igreja Batista da Lagoinha, que promove uma suposta “reorientação” da sexualidade, conhecida como “cura gay”.

A VEJA ouviu relatos de pessoas que passaram pelo processo, a cargo de pastores da Lagoinha. O palco das atividades é a Estância Paraíso, que fica a 40 minutos de BH.

Os retiros ali duram de três a oito dias, custam até R$ 3.000 reais e ficam sob responsabilidade de uma pastora. A promoção da “cura gay” não é explícita.

“Nossos retiros não são só para homossexuais, lésbicas, essas coisas, mas sempre trabalhamos a cura e a libertação interior, e muita gente sai restaurada”, informou uma atendente do local.

Entre os fiéis que passaram pela experiência está a publicitária Cláudia Baccile, 33 anos. Ela conta que nas dinâmicas os participantes são bombardeados com ideias como as de que “a homossexualidade é o pecado extremo” e que quem se envolver em ato sexual dessa natureza “será condenado à morte eterna”“Na época, já me via como lésbica e fui levada a uma sessão de exorcismo”, diz Cláudia.

Outras pessoas que participaram dos retiros se sentiram alvo de violência psicológica na Estância Paraíso, abandonaram a Lagoinha.

“O trabalho é tão forte que as pessoas são induzidas a acreditar que estão demonizadas E é aí que se seguem as sessões de exorcismo”, disse Bob Botelho, pastor gay e fundador da organização “Evangélicxs pela Diversidade”, que passou pela Estância em 2013, para tentar anular a sua homossexualidade.

O passo a passo da “cura” se estende no Ministério Clínica da Alma, também em Minas, um braço da igreja de Valadão, local para onde fiéis são encaminhados para receber ajuda de psicólogos.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


 
Enquete
VC JA BAIXOU NOSSO NOVO APLICATIVO?

 NAO
 SIM
 VOU AGORA







.

LIGUE E PARTICIPE

(79) 98800-3487

Visitas: 151243
Usuários Online: 4
Copyright (c) 2024 - Rádio Web Novo Horizonte - Radio web novo horizonte gospel. Levando o Evangelho até você
Converse conosco pelo Whatsapp!